fbpx

Dia de São Severino (8 de janeiro)

No século 5, o Império Romano Ocidental foi gradualmente subjugado pelos invasores germânicos: visigodos, ostrogodos, vândalos, suábios, borgonheses, alemães e francos. Na devastação geral, apenas as realidades e autoridades cristãs foram um ponto firme para a sobrevivência. É neste contexto histórico que se inscrevem a figura e a obra de São Severino, o apóstolo de Noricum. Provavelmente nascido de uma família romana por volta de 410, após uma estadia no Oriente, por volta de 454 ele se estabeleceu na área do Danúbio, na fronteira entre Noricum e Panônia, onde construiu mosteiros adequados para oferecer refúgio a populações em perigo e ao mesmo tempo. para espalhar o evangelho entre as tribos bárbaras.

Atraído tanto pela vida contemplativa e eremita quanto pela atividade missionária e favorecido pelo carisma da profecia, São Severino também foi previdente em nível humano. Com efeito, ele compreendeu que o movimento dos jovens bárbaros era imparável e que a decadente sociedade romena teria ganhado força com a transfusão dessas novas forças.

Mas era preciso abrir a mente para a verdade do evangelho e, antes disso, entrar em contato direto. Por meio de um gesto corajoso que atraiu a admiração dos guerreiros sem talha, chegou a Comagene, que já estava nas mãos de seus inimigos; o amor concreto pelos necessitados conquistou definitivamente o coração simples dos “bárbaros”, a começar pelos patrões. Gibuld, o rei dos alemães, mostra-lhe “a maior reverência e afeição”, como diz seu biógrafo Eugipp, e o escuta com respeito, dócil como um filho; Flaccite, rei dos tapetes, “o consultava em ações perigosas como um oráculo celestial”.

Não houve sinais do céu confirmando suas palavras. Um dia, a nora de Flacciteu o persuadiu, ao contrário da opinião de Severin, a não conceder a liberdade a alguns prisioneiros; Severin o admoestou vigorosamente a temer a ira de Deus: na mesma noite, o sobrinho de Flaccite ​​foi feito prisioneiro por outra tribo bárbara e obteve a liberdade somente por meio da intervenção de Severin.

Honesto e amado pelas pessoas humildes, bem como por reis e guerreiros, vivia na pobreza, sem tirar qualquer vantagem material para si: vestia a mesma camisa e no verão e no inverno, dormia as poucas horas de sono deitado no chão, com quadris Ele se aquecia com um grampo de cabelo e na Quaresma comia apenas uma vez por semana. Ele morreu em 8 de janeiro de 482. Seus restos mortais agora são adorados em Frattamaggiore (Nápoles) junto com o mártir Sosso.

Conheça agora o Gráfico Diafragma 2 em Cobre – Placa Radiônica M. Os sentidos dos arcos presentes no gráfico da placa produzem um túnel energético nos planos sutis, proporcionando mais rapidez naquilo que se deseja.

 

Deixe um comentário